Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Em Busca de Um Sentido

Viveremos num mundo de psicopatas?

Hoje deixo-vos apenas com uma questão... Vivemos num mundo de psicopatas, ou eu sou demasiado inocente or não conseguir entender a frieza de alguém matar um familiar e ir espalhar cartazes à procura do mesmo?

Vamos ser sinceros... No último mês, quantos foram os casos de homícidios entre familiares em que os assassinos se tentaram passar por vítimas em luto?

Gosto de educação!

Gosto de pessoas e gosto ainda mais quando estas são educadas.

Sou naturalmente educada, e por favor, não confundam simpática com educada. Fui ensinada a usar as palavras mágicas e cada vez que elas me falhavam ouvia "não foi assim que eu te ensinei, o que é que se diz?". Óbvio que não me bastava que me ensinassem, ver o exemplo é o melhor e os meus pais são bastante educados com toda a gente.

O que acontece é que, desde que vim para Lisboa, é muito difícil arrancar um "bom dia" de alguém e isso faz-me comichão, até porque estou a falar de pessoas que contactam comigo diariamente/semanalmente. Para acrescentar, ainda olham para mim como se eu sofresse de uma doença em estado terminal. "O quê? Bom dia? Mas esta agora está a falar comigo?".

Não consigo aceitar falta de empatia com as pessoas, porque a verdade é que seja a quem for, faz diferença receber uma palavra mais atenciosa, seja o "olá, como está?" ou o "desculpe" quando se pisa o pé de alguém na correria desta cidade.

Sinto bastante a falta da reciprocidade visto que venho de um meio pequeno, em que, se não for atenciosa, daí a dois segundos tenho a minha mãe a perguntar porque não disse nada à D. Maria que calhou a passar por mim.

E ainda me causa mais comichão saber que os mesmos que hoje não me devolvem a palavra daqui a uns anos são capazes de me mostrar um sorriso amarelo no meio de um "Bom dia, Sra. Engenheira". Realmente, há muita gente a viver de e para aparências, e saber disso dá-me cabo do pouco juízo que ainda tenho...

Tenho Medo De Sair De Casa Sozinha - Bárbara Cardoso

Há uns meses escrevi sobre assédio sexual, num momento de revolta em que precisava de falar e defender os meus direitos enquanto mulher. A verdade é que não conheço nenhuma mulher que nunca tenha sido assediada, e tal como a Bárbara acho que é necessário tocar no assunto, e que isso não significa banalizá-lo.

Vejam o vídeo, tirem 20 minutos do vosso dia e percebam que mandar piropos, mensagens "inocentes" e tudo o mais que possam pensar, provoca medo em nós, mulheres. São comentários desses que nos fazem sentir inferiorizadas, ter nojo de nós próprias e ter medo de simplesmente sair à rua.

Por favor, analisem os vossos comportamentos e tentem ser melhores todos os dias, vocês, homens e mulheres, que educam crianças e devem ensinar o certo e o errado e assim começar a mudança. 

Às vezes uma simples frase pode ser o gatilho para criar em alguém todo um conjunto de inseguranças, tenham atenção.

Estou cansada...

Estou cansada de viver num mundo em que é normal sexualizar-se uma mulher, só porque teve o "azar" de ter nascido com dois cromossomas iguais e um conjunto de hormonas que por acaso a fazem ter ancas largas, mamas e um rabo mais evidente. Estou cansada de viver num mundo onde responder à letra a uma tentativa de assédio é justificado com a frase "acha-se mais do que os outros".

O que é preciso fazer-se para que uma mulher possa simplesmente existir sem ser incomodada? E o pior é que acabamos a sentir nojo de nós próprias apenas porque somos bonitas perante uma sociedade que faz de nós objetos sem inteligência e sem capacidade de defesa.

É triste perceber que temos que analisar ao pormenor a roupa que usamos, apenas porque vestir uma saia ou uns calções vai atrair atenção que não queremos... É triste que nos sintamos envergonhadas por atitudes alheias... É triste que a sociedade nos tenha educado a baixar a cabeça quando passamos por um grupo de homens... É triste que ser-se ousada faça com que nos apontem o dedo.

Não é suposto que nos sintamos diminuídas, menos capazes, apenas por uma condição biológica que nem sequer escolhemos. Não é suposto que nos calemos só porque o mundo não está preparado para ouvir uma mulher com uma opinião forte... Não é suposto que pareçamos animais no circo, porque é muito bonito dizer-se que há igualdade de géneros e depois colocarem-se mulheres em exposição só porque torna o espetáculo mais apelativo.

Uma mulher é mais do que o corpo que tem... É inteligente, é capaz de ter uma conversa culta, é capaz de se mostrar interessada por assuntos "importantes", é capaz de grandes feitos, é forte e independente... Uma mulher é um ser humano. Já pararam para pensar sobre isso, homens? Já pararam para perceber que não é simpático dizerem-nos o quanto o nosso corpo vos agrada?

É que eu já estou cansada... Cansada de me sentir menos por algo que me deveria fazer sentir mais... Cansada de ter que explicar centenas de vezes que não quero ser vista como um objeto... Cansada que simplesmente não saibam respeitar o que é ser-se mulher...

E vocês, homens? Não se cansam de viver a ser indelicados?