Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Em Busca de Um Sentido

16
Set18

E de repente já passou um ano...

Tatiana

Passou um ano desde aquele dia em que acordei a saber que nunca mais te ia poder abraçar, mesmo antes que alguém mo dissesse em voz alta. Aquele telefone a tocar foi o alarme e antes de ser atendido eu já sabia que tinha acontecido. O teu sofrimento tinha terminado e o meu tinha acabado de se tornar mais forte.

 

Tenho saudades tuas, sabes? A partir desse momento tornei-me outra pessoa, mais atenta e também mais medrosa... Mais solitária, mas também a querer viver mais... Porque um dia nós acordamos e o mundo pode ter mudado e eu não quero sentir o arrependimento que seria não aproveitar as oportunidades que me são entregues.

 

O meu mundo alterou-se nesse dia. Foi o dia em que a perda de alguém se tornou, pela primeira vez, real... Até aí eu achava que ia saber lidar, que são coisas que acontecem e que é mau, mas é o rumo de toda e qualquer pessoa.

 

Desde aí descobri o quanto sou realmente apegada à minha família e não há um dia em que não me lembre da peça essencial que és nela.

 

Cheguei a querer ir menos a casa. Tinha medo do que iria sentir de cada vez que entrasse e não te visse, de olhar para a avó e ver-lhe os olhos sempre molhados e as roupas pretas.

 

Com os dias a passarem entendi que isso não me iria fazer bem, que tinha que viver a tua perda como precisava e não fugir dela... A verdade é que em vez da distância me fazer bem, só tornava mais real o meu sentimento de revolta.

 

Hoje a tia foi embora, voltou para a Alemanha... Como exatamente há um ano. Mas desta vez custou um bocadinho menos, porque sinto mais a tua presença nas nossas personalidades e nas nossas vivências do que a tua perda. As saudades vão sempre ficar, já me habituei a elas, mas é tão maior toda a bagagem que nos ofereceste com as tuas histórias e a tua boa disposição...

 

Onde quer que estejas, espero que estejas bem e orgulhoso da tua família, porque eu sinto muito orgulho em dizer que o Sr. Ilídio era e é o meu avô.

08
Jan18

A minha família!

Tatiana

Há pessoas que sem saber se tornam a sorte da vida de outras. Aparecem, conquistam e tem para si um conjunto de corações que não roubaram, mas que são seus em segredo.

 

Há quem seja naturalmente iluminado... Há quem tenha uma luz gigante, e apesar da área que ilumina nem desconfia que o faz... Há quem alcance o carinho de meio mundo, sem notar... Há quem contagie quem está à sua volta com uma alegria maravilhosa...

 

Assim o é o meu pai. Pai que o é porque lhe ganhou o direito, porque abdicou da sua liberdade para dar um futuro a três crianças, porque tem os braços sempre abertos, mesmo sabendo as dificuldades que podem surgir. Pai que o é porque eu deixei que o fosse, mesmo que ao início lhe tenha negado o acesso ao meu pequeno coração.

 

Conquistou-me por inteiro sem grande esforço, e aos poucos fui-me entregando ao amor que me era dado por alguém que não tinha obrigação de o dar.

 

Atrás dele veio toda uma família, a minha família. Os meus avós, os meus tios, os meus primos. Mais uma vez, ninguém tinha a obrigação de me acolher, mas todos o fizeram e permitiram que eu invadisse um espaço que não deveria ser meu, mas que me foi oferecido com o maior carinho do mundo. Sou apaixonada por cada uma destas pessoas, e mais do que isso, sou imensamente grata por tudo o que me proporcionaram e continuam a proporcionar.

 

São a família que eu não tinha, mas que ganhei. São o exemplo do que é ser-se genuinamente bom.

 

Algures num momento de tristeza observavam-me abraçada à minha avó, a chorar a morte do meu avô, e ouviu-se "parece mesmo neta". Hoje dou a resposta que não fui capaz de dar na altura.

 

Não pareço, sou.

 

Adquiri o direito de me dizer neta, mesmo que os genes sejam outros. Tal como cada um deles me conquistou e permitiu que eu desse o que tenho de mais doce e puro: o meu amor de neta, sobrinha, prima... Filha.

 

Somos uma família e assim vamos permanecer, mesmo que estas palavras nos magoem. Porque família é quem cria, cuida e mima e não quem vira as costas à mínima dificuldade.

 

Somos a família que escolhemos e que surgiu através de um amor lindo que é o dos meus pais.

 

Amo-vos.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D