Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Em Busca de Um Sentido

28
Nov17

Relações que nunca chegam a amor...

Tatiana

Acordei. Será que eles fazem ideia do barulho que estão a fazer? Discutem vezes e vezes sem conta os mesmos assuntos, as mesmas coisas sem qualquer tipo de significado que só mostram que o elo que um dia existiu está mais que quebrado e não há previsão de retorno.

 

Ela é o doce que cresceu no campo, presa pela ideia de que mulheres só em casa, mulheres não prestam, mulheres só devem ser usadas, mulheres não estudam... Ele é a pessoa que cresceu num meio de repressões, sem nunca poder ser feliz, sem sequer perceber que se tornou uma pessoa desprezável ao negar a si próprio aquilo que é… Encontraram-se e destroem-se. Nunca foram felizes, mas fingem que se amam.

 

Vejo de longe que sou fruto de uma relação que desde o início tinha como destino um final tenebroso, mas que felizmente aconteceu. Estou aqui e eu sou parte desta história que se irá prolongar até que eu lhe meta um ponto final.

 

Hoje pode ser a realidade, mas amanhã era uma vez e não vai passar de um conjunto de palavras que eu articulei para escrever um molho de folhas que irá ser queimado no meio de documentos e fotografias velhas que os meus netos e bisnetos poderão encontrar, sem saber de onde vem tudo aquilo ou que caras são aquelas.

 

Sei que os gritos não vão acabar, tenho que sair daqui o mais rápido possível. É de noite, deviam estar a dormir e não a discutir de quem é o quê. Deviam saber que estou aqui, que percebo tudo. Ficam cegos quando falam alto um com o outro. A jarra caiu. A maldita jarra está partida no chão do corredor.

 

Mãe? Não fujas, eu estou aqui. Eu sempre estive aqui. Não lhe toques, ela é a minha mãe. Sai daqui. Vai embora. Não te quero aqui. Mãe, não quero ir para a cama outra vez, ele é mau. Não quero sair de perto de ti.

 

Há amores que nunca chegam a ser realmente amor. Todos os que estão fora veem, mas tu, inocente, achas que está tudo bem. Não queres negar-te a oportunidade de fugires da aldeia e teres uma vida tua. Sabes que ali pode estar uma solução, sem sequer parares para perceber que te estás a entregar nas mãos de alguém que não te vai dar o caminho que procuras. Nunca te achaste merecedora de um carinho, nunca foste capaz de te autoavaliar como alguém que merece mais do que um sorriso. Mas eu digo-te... Mereces tudo.

 

[este texto é apenas ficção]

6 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D