Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Em Busca de Um Sentido

29
Jul17

Quando vais viver?

Tatiana

Explica-me uma coisa... Quando olhas para ti consegues ver para além de uma rapariga que se questiona acerca de tudo? Diz-me... Captas a tua essência ou andas perdida num mundo que criaste para enfiar os dramas e confusões que carregas todos os dias?

 

Eu queria dizer-te que quando me abstraio de tudo o que é esta vida, consigo ver o lado bom das coisas, consigo ver que tens a luz mesmo ao teu lado, a iluminar-te o caminho que vais descobrindo a medo, embora defina aquilo que és... Gostava que não tivesses receio do que observas, e que seguisses em frente, vivendo ao máximo. 

 

Percebo que sofras por antecipação, é natural. Mas não seria melhor que vivesses como a jovem que és? Às vezes o facto de seres impulsiva é algo bom. Porque não experimentas? Confia em ti. És responsável... Corre em busca daquilo que te preenche. Tu sabes quando vais pelo caminho certo... Ia ficar de coração cheio se conseguisse perceber que te sentes segura das tuas decisões.

 

Estás uma mulher, mesmo que todos à tua volta impliquem contigo e te digam que não. Eles fazem isso para te chatear. No fundo estão orgulhosos de ti, só têm receio que te percas. Todos à tua volta têm medo por ti, pela tua vida, pelo teu futuro. 

 

Um dia vais ter setenta anos, e quando olhares para os teus filhos e netos vais querer ter histórias para contar, não vais? Então porque esperas tanto para começar a criar essas histórias na tua vida? Porque te prendes a essa ideia de que és dramática, instável e confusa? Porque tens medo de ser mulher? Porque tens medo de ser independente?

 

Vai, vive, sorri, chora, grita, observa, descobre, sente, mas nunca desistas. Peço-te que não te deixes ir a baixo, porque tu, que vives em mim a cada segundo, estás a prender-me, estás a impedir-me de correr atrás da minha felicidade e eu preciso de te acalmar... Sempre que te sentires a perder o rumo, lê isto, por favor.

 

E lembra-te sempre, somos duas numa. A coerente, certa e racional e a dramática, confusa e instável. E qual é o mal disso?

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D