Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Em Busca de Um Sentido

Não desistas!

Novembro 30, 2016

Digo-te com todas as certezas que uma das piores coisas que podes fazer é desligares-te do mundo, deixares de te importar.

 

Sei que em momentos de aflição parece impossível continuares a seguir um percurso que te magoa, que te faz duvidar das tuas capacidades, mas no fim vai valer a pena. No fim, tudo faz sentido. Pelo menos é aquilo em que quero acreditar. 

 

Por alguma razão,  seja ela qual for, tu estás a percorrer um determinado caminho e se essa for a opção que no fim te fará feliz, é a opção correta. Estás a percorrer o teu caminho, para construires a tua vida. Em todo o lado irão haver momentos melhores e piores, mas tens que te mentalizar de uma coisa...  Até ao último suspiro tu tens todas as oportunidades do Universo para escolheres por que lado pretendes ir. 

 

Escolhe da melhor forma, pensa nas consequências, mas por favor, não desistas do mundo. Desistir não pode ser uma opção. A única opção que tens é mudar o rumo, nunca terminar o caminho. Confia. Vai correr bem. 

Sweet 19

Novembro 15, 2016

Foi um fim de semana de emoções fortes...

 

Acho que ao fim de três semanas longe de casa não estava a contar com três dias a saber a agridoce e com uma segunda-feira tão doce. Literalmente.

 

Haja chocolates.

 

Foi o fim das saudades de um amor que nunca acabou e que agora, ao fim de cinco meses, vê um novo começo. Um avô que sempre cuidou de mim a precisar dos meus cuidados. Tanta gente para abraçar. Tantas palavras por dizer.

 

Foi um dia de grandes emoções…

 

Começou por sair de casa de madrugada só para ter o gosto do beijinho de uma mãe orgulhosa da sua menina que faz 19 anos… Dói, porque tenho a consciência que só o volto a ter na sexta-feira à noite.

 

O balanço de tudo isto é um início de 19 anos bestial, com mimos até mais não.

 

A meia-noite foi passada num abraço que nunca quero perder, muito menos agora que o tenho de volta.

 

Cheguei a Lisboa a contar com mais um dia normal, sem grandes surpresas e fiquei a saber que afinal estava enganada. Houve flores, chocolates, abraços. Houve carinho.

 

Acabei o dia a chorar, de felicidade. Estou grata por tudo o que tenho, pelas pessoas que me rodeiam, pelo amor que recebo.

 

Para o ano há mais!

Há dias assim...

Novembro 06, 2016

Há dias em que o truque seria nem levantar-me da cama, mas quando uma miúda nasce torta e teimosa não cede a pressões. Tenho teste de Anatomia na segunda-feira. Hoje esperava-me uma dose de ossos, músculos e companhia.

 

Comecei a estudar, como menina aplicada que tento ser. Lembrei-me que precisava do portátil para consultar os livros.

 

Abro-o, ligo-o e deixo-o estar. Olho para ele passados uns minutos.

 

"F***-SE!"

 

Vá de abaná-lo um bocado.

 

"M****, QUE RAIO SE PASSA?"

 

Senhora Dona Tatiana teve a excelente ideia de fechar o computador com os auscultadores no meio. Mas ninguém lhe ensinou que aparelhos informáticos não são para sanduíches?

 

É só um ecrã partido. Respira-se fundo e passa. Mas calma... O TESTE DE ANATOMIA.

 

Ligo à minha mãe num desespero digno de um filme de terror com tendência para o drama. Ela tem mais calma que eu. Eu choro. Ela fala com paciência. Eu grito. "Faz o que tu quiseres". Eu crio um mar de lágrimas. Ela enerva-se. Desligamos o telefone.

 

Decido que vou à Worten, preciso de algo que substitua o computador enquanto não se arranja. Falo com a minha mãe. Concorda.

 

Uma tarde toda no Colombo. Chego a casa contente. Ligo à patroa. Estamos todos contentes. Janto.

 

"Era boa ideia irmos sair." Será que ninguém entendeu que tenho teste de anatomia? A N A T O M I A.

 

Volto a ligar à minha mãe. "Vai, não vais conseguir estudar de qualquer forma." Ela tem sempre razão.

 

Vou sair. Um ambiente giro, boa companhia. Vem-me sono. É cedo. Continuo lá até perto da meia noite.

 

Chego a casa. Preparo-me para dormir. Vejo as horas. Perdi o sono. Vou estudar.

 

Estudei quase duas horas. Escrevo-vos agora da minha nova aquisição.

 

Queriam que eu não estudasse, nem viesse aqui? Nem o universo manda em mim. Já disse que sou torta e teimosa.

 

Boa noite… Ups. Madrugada.

 

Amor de Alentejano

Novembro 05, 2016

Ultimamente tenho-me deparado com a pergunta "De onde és?" mais do que seria de esperar. No entanto, não é estranho, visto que todos os que me rodeiam estão a passar por algo idêntico ao que eu estou e acabam por ter curiosidade de saber quem também mudou de cidade.

 

À minha resposta acabo por obter "O quê? És alentejana?".

amor de alentejano.png

Fico sempre sem saber bem como reagir à pergunta, por duas razões. Na minha cabeça perguntam-me isso por acharem que os alentejanos são autênticos bichos do mato, incapazes de comunicar sem falar do gado e das hortas ou então porque ao fim de três semanas sem ir a casa os vestígios de um sotaque que gosta de prolongar as sílabas e de ir cantando acabam por se tornar muito mais subtis.

 

Devido a todas as perguntas com que me deparo acabei por me aperceber das características que praticamente todos os alentejanos têm. 

 

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.