Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Em Busca de Um Sentido

Qui | 26.10.17

As palavras de uma idealista...

Sento-me e observo o que se passa à minha volta... Nunca tive por hábito parar para simplesmente olhar, desfrutar do mundo e respirar fundo. Cada vez mais me deparo com esta necessidade de agradecer, de me sentir grata por tudo o que conquisto aos poucos.

 

Nem tudo é por acaso, sabes? A vida vai-me ensinando que tudo acontece por uma razão, que nos faz falta a aprendizagem, a capacidade de aceitarmos as oportunidades que temos, mesmo que poucas. 

 

Somos nós que fazemos a oportunidade, basta termos os olhos bem abertos. Acho que é claro para todos que uma pessoa que vá à luta, que não se limite ao que lhe cai aos pés e ambiciona alcançar sempre mais, acaba por chegar mais longe do que aquela outra que fica na estação a ver o comboio passar.

 

Nunca fui de me conformar, mas há uns tempos era muito mais revoltada com tudo de menos bom que me acontecia. Lutava comigo própria e isso impedia-me de prosseguir com a minha vida. Ficava presa a sentimentos negativos e a ideias erradas do que é a realidade. Não me conformava, mas alimentava-me do que era menos bom para alcançar os meus objetivos.

 

Hoje consigo aceitar as condições em que tudo se encontra e uso-as a meu favor, pensando apenas no lado positivo. Aconteceu algo que vai contra aquilo que quero? Ótimo, quando tudo isto acabar, eu vou ser mais forte, vou ver as coisas de outra forma e enfrentar o mundo de cara lavada. Tudo me serve para aprender, para me moldar, para ser uma pessoa melhor. Quem me diz que não iria ser infeliz se tudo tivesse corrido como queria? Talvez quando chegasse lá ia perceber que estava verdadeiramente iludida.

 

Se a minha conversa soa às palavras de alguém demasiado idealista? Talvez. Admito. Passei de oito a oitenta. Passei de alguém que era super negativa, para a encarnação das good vibes. Acho que ultimamente se nota isso por aqui... Tudo o que escrevo vai ao encontro do quanto me orgulho da minha mudança, da adulta que estou a conseguir ser e da consciência do que é pertencer a um grupo de pessoas tão diferentes de mim.

 

Sei que continuo a ser uma adulta muito verde, falta-me amadurecer, ganhar calo, como se diz. No entanto, cada vez mais sinto que estou num bom caminho, que estou a seguir os passos certos e que tenho ótimos exemplos à minha volta.

 

Sabem que mais? Sinto-me feliz, deixem-me aproveitar.

20 comentários

Comentar post